ByteDance

As redes sociais são examinadas frequentemente pelo governo dos Estados Unidos, mas poucas correm perigo de falência como o TikTok. A popular plataforma de compartilhamento de vídeos curtos pode conseguir operar sem a fatia do mercado americano, mas a perca desse mercado gigantesco pode ser fatal. O TikTok escapou de uma proibição total nos EUA, mas mesmo com o fim do prazo final, o TikTok permanece com o futuro mais incerto do que antes.

O TikTok recebeu um prazo final até 12 de novembro para chegar a um acordo satisfatório as preocupações do governo dos Estados Unidos acerca dos dados de seus cidadãos nas mãos da China. Esse prazo foi prorrogado por 15 dias e depois por mais sete dias. Essa última data já passou, e o TikTok não tem seu futuro decidido.

A Reuters relatou que a ByteDance, dona da TikTok, não terá mais um prazo. Apesar dos problemas com os prazos, a empresa não será multada ou penalizada por não os cumprir, provavelmente porque a culpa não é totalmente da ByteDance. O governo ainda está revisando a proposta da ByteDance.

A ByteDance está concordando em alienar suas operações nos Estados Unidos e entregá-las a um consórcio de empresas americanas que inclui empresas como Oracle e Walmart. A aprovação do acordo ainda depende da China, que não demonstra tanta positividade com o caso.

O Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos (CIFUS) do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos afirma que ainda está discutindo assuntos com a ByteDance, apesar do prazo ter expirado. Infelizmente isso coloca o TikTok a deriva quando se fala em seu destino. A decisão pode vir a qualquer momento, podendo surpreender de forma positiva ou negativa os usuários da plataforma nos EUA.