Os membros do parlamento da Rússia querem banir FIFA 17, acusando o jogo da Electronic Arts de promover propaganda gay, o que vai contra as leis do país. Em questão está à oferta de um equipamento colorido para o modo Ultimate Team, um gesto da Electronic Arts para apoiar a campanha Rainbow Laces.

A campanha Rainbow Laces é uma iniciativa do grupo Stonewall do Reino Unido, que defende os direitos da comunidade LGBT. A campanha surgiu depois de se descobrir que 72% dos fãs da Premier League ouviram comentários anti-LGBT durante as partidas da Premier League. Para mostrar o apoio à campanha, a EA ofereceu temporariamente um equipamento colorido para o modo Ultimate Team de FIFA 17.

Devido ao gesto da editora, os membros comunistas do parlamento russo enviaram uma carta às agências de proteção ao consumidor avisando que FIFA 17 convida os jogadores a apoiar uma campanha de suporte ao LGBT, relata o The Guardian.

Uma lei aprovada em 2013 na Rússia proíbe a propaganda LGBT, com a justificação que pode causar prejudicar a saúde e desenvolvimento das crianças. Com base nisto, Valery Rashkin, um dos membros comunista do parlamento, diz que a EA deve modificar o código do jogo para remover o equipamento colorido ou alterar a classificação etária (na Rússia o jogo é recomendado para todas as idades), caso contrário terão que ser tomadas medidas restritivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*