Uma nova Lei russa que entrou em vigor, permite o governo da Rússia isolar a Internet do país do resto do mundo.

A lei da “internet soberana” como está sendo chamada pelo governo russo, entrou em vigor no dia 1 de novembro. A lei permite o governo russo bloquear o acesso ao conteúdo dentro ou fora da Rússia “em caso de emergência”.

A lei da internet soberana foi posta em vigor por algumas razões, como evitar ataques cibernéticos e manter a internet da Rússia funcionando caso o Ocidente corte o país da rede mundial de computadores.

O recurso que permitirá o governo realizar essa ação é conhecido como “inspeção profunda de pacotes”, uma maneira avançada de filtrar o tráfego de rede.

A Roskomnadzor, o órgão de controle de telecomunicações da Rússia, através da inspeção profunda de rede, poderá bloquear acesso ao conteúdo que o governo considera uma ameaça, quando quiser (Via Human Rights Watch). O governo, sob uma base legal poderá realizar vigilância em massa na rede.

Rachel Denber, vice-diretora da HRW na Europa e Ásia Central, disse em um comunicado:

“Agora o governo pode censurar diretamente o conteúdo ou até transformar a Internet da Rússia em um sistema fechado sem dizer ao público o que está fazendo ou por quê”, disse Rachel Denber, vice-diretora da Europa e Ásia Central da Human Rights Watch, em comunicado. “Isso põe em risco o direito das pessoas na Rússia à liberdade de expressão e liberdade de informação on-line”.

“O que descobri foi que havia centenas de pontos de troca de Internet existentes na Rússia, alguns dos quais com centenas de participantes – então centenas de redes se unindo para trocar tráfego”, diz David Belson, diretor sênior de Pesquisa e Análise da Internet na Internet. Muitos deles são provedores de redes internacionais, diz ele, então “basicamente é um desafio – se não impossível, eu acho – isolar completamente a Internet russa”.

De acordo com a Freedom House, a liberdade dos usuários na Internet na Rússia está cada vez mais complicada, no ano passado, o governo tentou bloquear o aplicativo de mensagens Telegram e reprimiu as redes privadas virtuais, que criptografavam o tráfego da Internet.

Deixe uma resposta