A empresa taiwanesa de semicondutores MediaTek ultrapassou a americana Qualcomm se tornando a maior fabricante mundial de chips para smartphones no terceiro trimestre de 2020.

De acordo com os dados da Counterpoint Research, mais de 100 milhões de smartphones vendidos no terceiro trimestre do ano foram fornecidos com processadores MediaTek – correspondendo à 31% das vendas totais.

O diretor de pesquisa Dale Gai explicou o motivo da notável participação de mercado da MediaTek:

  • Forte desempenho no segmento de preços de smartphones de médio porte de US $ 100 a US $ 250, especialmente em locais importantes como China e Índia, e com crescimento nas regiões do Oriente Médio na África e América Latina.
  • A proibição da Huawei nos EUA criou uma demanda por chips acessíveis da MediaTek.
  • As vitórias da MediaTek em OEMs líderes como Samsung, Xiaomi e Honor. A participação dos chipsets MediaTek na Xiaomi, por exemplo, aumentou mais de três vezes desde o mesmo período do ano passado.

Gai acrescentou que a Qualcomm também se beneficiou da proibição da Huawei e dos problemas de fornecimento HiSilicon resultantes, com ganhos obtidos no segmento de alta tecnologia em particular.

Os chips da Qualcomm foram empregados em 29% de todos os smartphones vendidos globalmente no terceiro trimestre de 2020, enquanto os chips da HiSilicon atingiram 12% da participação de mercado.

O gráfico abaixo mostra a participação de chips do mercado global de smartphones dos maiores fabricantes no terceiro trimestre de 2019 em comparação com o terceiro trimestre de 2020.


Smartphones 5G em ascensão

Embora a MediaTek lidere as vendas gerais, a Qualcomm foi responsável pelo maior número de smartphones com capacidade 5G vendidos no terceiro trimestre, com 39% dos celulares 5G vendidos em todo o mundo usando seus chips.

As remessas de smartphones 5G registraram um crescimento substancial no terceiro trimestre em geral, com 17% de todos os smartphones apresentando o padrão de conectividade mais recente.

O analista de pesquisa Ankit Malhotra disse que o foco imediato dos fornecedores de chipset será levar o 5G para mais usuários.

Isso irá então “desbloquear o potencial de casos de uso de 5G para o consumidor, como jogos em nuvem, que por sua vez levará a uma maior demanda por GPUs de maior clock e processadores mais poderosos”.

“A Qualcomm e a MediaTek continuarão a lutar pela primeira posição”, observou Malhotra.

A Counterpoint Research antecipou que um terço de todos os smartphones vendidos no último trimestre de 2020 estarão equipados com a tecnologia 5G.