Fake News: Facebook, Instagram e WhatsApp não foram bloqueados por causa da tragédia de Suzano

0

Nas redes sociais estão circulando postagens dizendo que os problemas de instabilidade que afetaram o Facebook, Instagram e WhatsApp tem ligação com a tragédia ocorrida hoje em Suzano (SP).

O fato é que a tragédia de Suzano não tem nenhuma ligação com esses problemas. As postagens e mensagens compartilhadas dizem que as redes sociais podem sair do ar por tempo indeterminado por causa de investigações acerca da tragédia.

Mensagem falsa divulgada no WhatsApp.

Essas notícias são falsas, os problemas de instabilidades foram relatadas em várias partes do mundo e não só no Brasil.

“Isso não é verdade. O Facebook está enfrentando questões técnicas em diversas partes do mundo, e estamos trabalhando para normalizar o acesso aos nossos serviços o mais rápido possível”, afirma, em nota, um porta-voz do Facebook.

As mensagens foram divulgadas tanto no WhatsApp como no Facebook, pessoas estão compartilhando esse tipo de conteúdo sem ao menos pesquisar o procedimento do mesmo e se isso e verdadeiro.

As instabilidades que estão afetando os aplicativos ainda estão sendo apuradas e algumas possibilidades como um ataque DDoS já foram descartadas, depois do Facebook se pronunciar em seu perfil no Twitter.

O Instagram também se pronunciou dizendo:

“Estamos cientes de um problema que afeta o acesso das pessoas ao Instagram no momento. Sabemos que isso é frustrante, e nossa equipe está trabalhando duro para resolver isso o mais rápido possível.”

A tragédia de Suzano teve grande repercussão ao longo dessa quarta-feira e esses tipos de notícias falsas surgem, assim como outras que circulam por aí, que jogos como Free Fire são o motivo do Guilherme Taucci de Monteiro e Luiz Henrique Castro invadirem a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP) armados e causar essa terrível tragédia, matando oito pessoas no local.

O importante no momento é tomar cuidado com o que se lê e compartilha para não colaborar com o Fake News.

Deixe uma resposta