Trump

Donald Trump finalmente encontrou uma linha que o Facebook não está disposto a permitir que ele atravesse: promovendo desinformação sobre o coronavírus. A rede social removeu um post da conta de Donald Trump na quarta-feira, depois que o presidente compartilhou um clipe de uma entrevista à Fox News, na qual ele alegou falsamente que as crianças são “quase imunes” ao COVID-19. 

“Este vídeo inclui falsas alegações de que um grupo de pessoas é imune ao COVID-19, o que é uma violação de nossas políticas sobre desinformação prejudicial ao COVID”, disse um porta-voz do Facebook em comunicado à NBC News.

Ele marca a primeira vez que o Facebook remove uma das postagens de Trump sob a política. A empresa já havia retirado anúncios da campanha de Trump por violar suas regras em torno do “ódio organizado” e informações enganosas sobre o censo dos EUA. 

O vídeo também foi compartilhado no Twitter, onde permanece ativo. No Facebook, o vídeo ficou visível por pelo menos quatro horas e foi visto centenas de milhares de vezes antes de ser removido, de acordo com o  repórter Davey Alba do New York Times.

O Facebook anteriormente relutava em impor suas regras quando se trata de postagens de políticos, especialmente Trump. Mark Zuckerberg criticou o CEO do Twitter por checar um dos tweets de Trump, mas Zuckerberg disse mais tarde que consideraria adicionar rótulos a algumas postagens de políticos que, de outra forma, poderiam violar as regras do Facebook. A empresa adotou uma postura um pouco mais difícil quando se trata de informações errôneas sobre o COVID-19, e Zuckerberg chamou a resposta dos EUA à pandemia de “decepcionante”.

O Twitter também tomou uma atitude no clipe por violar as regras da empresa contra a desinformação do COVID-19. Um porta-voz disse que o Twitter “exigiu a remoção” da conta @TeamTrump que originalmente compartilhou o vídeo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui