Explosão no Líbano

Uma enorme explosão em armazéns portuários perto do centro de Beirute matou mais de 50 pessoas, feriu mais de 2.750 e enviou ondas de choque que quebraram janelas, quebraram alvenaria e sacudiram o chão pela capital libanesa. Autoridades disseram esperar que o número de mortos aumente ainda mais após a explosão de terça-feira, enquanto trabalhadores de emergência vasculham os escombros para resgatar pessoas e remover os mortos.

Foi a explosão mais poderosa em anos a atingir Beirute, que já está sofrendo com uma crise econômica e um aumento nas infecções por coronavírus.

O ministro do Interior do Líbano disse que as informações iniciais indicam que materiais altamente explosivos, apreendidos anos atrás, armazenados no porto explodiram. Israel, que travou várias guerras com o Líbano, negou qualquer papel e ofereceu ajuda. “O que estamos testemunhando é uma enorme catástrofe” o chefe da Cruz Vermelha do Líbano, George Kettani, disse à emissora Mayadeen. “Há vítimas e baixas em todos os lugares”. Horas após a explosão, que ocorreu pouco depois das 18h (15h em Brasília), um incêndio ainda ardeu no distrito portuário, lançando um brilho laranja no céu noturno enquanto helicópteros pairavam e sirenes de ambulância soavam na capital. Uma fonte de segurança disse que as vítimas foram levadas para tratamento fora da cidade porque os hospitais de Beirute estavam cheios de feridos.

Ambulâncias do norte e sul do país e do vale de Bekaa, a leste, foram chamadas para ajudar. A explosão foi tão grande que alguns moradores da cidade, onde vivem lembranças de bombardeios pesados ​​durante a guerra civil de 1975 a 1990, pensaram que um terremoto havia acontecido. Pessoas atordoadas, chorando e feridas andavam pelas ruas à procura de parentes. ” Aqueles que filmaram o incidente em prédios altos a 2 km do porto foram jogados para trás pelo choque. Não ficou claro imediatamente o que causou o incêndio inicial na terça-feira que desencadeou a explosão.

O ministro da Saúde do Líbano disse que mais de 50 pessoas foram mortas e mais de 2.750 feridas. A Cruz Vermelha do Líbano disse que centenas de pessoas foram levadas para hospitais. O governador do porto de Beirute disse à Sky News que uma equipe de bombeiros, que estava lutando contra o incêndio inicial, “desapareceu” após a explosão.

O presidente Michel Aoun convocou uma reunião de gabinete de emergência na quarta-feira e disse que um estado de emergência de duas semanas deve ser declarado. Ele disse que era “inaceitável” que 2.750 toneladas de nitrato de amônio fossem armazenadas por seis anos sem medidas de segurança.

O primeiro ministro pediu um dia de luto. A explosão ocorreu três dias antes de um tribunal apoiado pela ONU emitir um veredicto no julgamento de quatro suspeitos do grupo muçulmano xiita Hezbollah devido a um atentado a bomba em 2005 que matou o ex-primeiro-ministro Rafik al-Hariri e 21 outros. Hariri foi morto por um enorme caminhão-bomba na mesma margem, a cerca de 2 km do porto. Autoridades israelenses disseram que Israel não tinha nada a ver com a explosão e disseram que seu país estava pronto para dar assistência humanitária e médica ao Líbano.

O Irã xiita, principal defensor do Hezbollah, também ofereceu apoio, assim como a rival regional de Teerã, a Arábia Saudita, uma das principais potências sunitas. Países ocidentais, incluindo Estados Unidos, Grã-Bretanha e França, também disseram estar prontos para ajudar. As imagens mostravam edifícios portuários reduzidos a alvenaria emaranhada, devastando o principal ponto de entrada de um país que depende de importações de alimentos para alimentar sua população de mais de 6 milhões.

Ameaça uma nova crise humanitária em um país que hospeda centenas de milhares de refugiados sírios e que já está enfrentando um colapso econômico sob um dos maiores encargos da dívida do mundo. Moradores disseram que o vidro foi quebrado em bairros da costa mediterrânea de Beirute e subúrbios do interior a vários quilômetros de distância.

Em Chipre, uma ilha mediterrânea a 180 quilômetros de Beirute, os moradores ouviram a explosão. Um morador de Nicósia disse que sua casa e as janelas tremiam. “Todas as janelas do centro estão quebradas e há pessoas feridas andando por aí. É um caos total”, disse uma testemunha da Reuters.

Após a explosão em Beirute, no Líbano, várias imagens mostrando diferentes ângulos da tragédia começaram a emergir. Dezenas de pessoas morreram e centenas ficaram feridas. Veja no vídeo.

Via: BBC News | Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui