Um estudo recente sobre o nível de atividade dos americanos para investigar a epidemia da obesidade, levou a uma descoberta interessante sobre o uso do PC.

Embora saibamos que o número de PCs em uso no mundo permaneceu estável em torno de 1,5 bilhão de PCs desde 2013, acredita-se que o uso real de PCs diminuiu à medida que o uso de lazer passou para os smartphones.

Yin Cao, do National Health Nutrition Examination Survey, com 51.896 participantes, apresentou um resultado contrário.

Constatou-se que entre 2001 e 2016, o tempo total que adultos e adolescentes passam sentando diariamente aumentou em uma hora por dia; de 6,4 horas a 8,2 horas. O tempo total estimado de sentar aumentou de 2007 a 2016 (de 7,0 a 8,2 horas por dia entre adolescentes e de 5,5 a 6,4 horas por dia entre adultos).

Isto foi em grande parte liderado por um aumento no número de pessoas que passam mais tempo sentadas em frente a um PC. A prevalência estimada de uso de computadores fora da escola ou do trabalho por pelo menos 1 hora por dia aumentou de 2001 a 2016 (de 43% para 56% para crianças, de 53% para 57% entre adolescentes e de 29% para 50% para adultos). Curiosamente, o tempo estimado gasto assistindo TV e vídeo foi ainda maior, mas está estável desde 2001.

Outro relatório da Datareportal , usando dados da Statcounter de uso da web, mostra o uso do PC em 6,3%, enquanto o uso do telefone caiu 5% e o uso do tablet caiu 4,6%. As vendas de smartphones estão diminuindo, enquanto as vendas de PCs parecem estáveis.

Sentar-se por muito tempo tem sido associado a uma série de desfechos metabólicos adversos, como diabetes e obesidade, um problema que os usuários de PC tentaram driblar no trabalho com mesas projetadas para trabalhar em pé, para evitar o sedentarismo, mas parece que essa moda não pegou. Com o uso do PC aumentando em casa, parece que os PCs não são apenas relevantes, mas também uma ameaça à nossa saúde.

Fonte: theverge

Deixe seu comentário: